scaneie o código ou clique aqui

Tecnólogo em Gestão Ambiental

O Curso
Perfil Profissional do Egresso
Mercado de trabalho
O Curso

O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais para o planejamento, gerenciamento e execução de atividades de diagnóstico, avaliação de impacto, proposição de medidas mitigadoras, corretivas e preventivas, recuperação de áreas degradadas, acompanhamento e monitoramento da qualidade ambiental. Além disso, a regulação do uso, controle, proteção e conservação do meio ambiente, avaliação de conformidade legal, análise de impacto ambiental, elaboração de laudos e pareceres, podendo elaborar e implantar ainda políticas e programas de educação ambiental, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de vida e a preservação da natureza, como também:

- possuir conhecimentos científicos e tecnológicos no campo da Gestão Ambiental, dotada de consciência ética, política, humanista, com visão crítica e global da conjuntura econômica social, política, ambiental e cultural da região onde atua, no Brasil ou no mundo;

- trabalhar com raciocínio lógico, interpretativo e analítico para identificar e solucionar problemas;

- atuar em diferentes contextos, promovendo o desenvolvimento, bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos e comunidades;

- compreender a necessidade do contínuo aprimoramento de suas competências e habilidades profissionais.

Perfil Profissional do Egresso

O profissional egresso do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental deve ser capaz de processar informações, ter senso crítico e ser capaz de impulsionar o desenvolvimento econômico da região, integrando formação técnica à cidadania.

A formação do Tecnólogo em Gestão Ambiental deve propiciar conhecimentos para que o profissional tenha condições de:

- ter um comportamento ético e moral nas coisas relativas à atuação do homem e seus projetos no meio ambiente;

- propor e executar a educação ambiental, visando o desenvolvimento sustentável;

- conhecer, interpretar, aplicar, defender e propagar a legislação ambiental em vigor;

- conhecer as formas de organização da sociedade e suas relações entre saúde pública, segurança alimentar e meio ambiente;

- conhecer os fundamentos da dinâmica do meio ambiente relacionando-os com outras áreas do saber;

- saber da importância da biodiversidade, do significado de flora e fauna e da preservação e conservação da natureza, além de conhecer a complexidade e fragilidade dos ecossistemas;

- aplicar tecnologias alternativas de prevenção, mitigação e recuperação ambiental;

- avaliar os processos de produção no intuito de reduzir os rejeitos, aumentando a eficiência do consumo de energia e recursos naturais, propondo reciclagem;

- elaborar e implantar sistemas de gestão ambiental em todos os setores das empresas públicas e privadas;

- organizar e coordenar campanhas, cursos e treinamentos nas áreas de educação ambiental, poluição ambiental e saúde ambiental;

- desenvolver a capacidade empreendedora;

- identificar, monitorar e interpretar os parâmetros de qualidade ambiental dos recursos naturais (solo, água e ar);

- identificar os potenciais usos dos recursos naturais de maneira sustentável;

- identificar as fontes e o processo de degradação ambiental e aplicar métodos de eliminação ou de redução de impactos ambientais;

- avaliar os processos produtivos e propor medidas visando a implementação da produção mais limpa;

- planejar, executar e avaliar Estudos, Planos e Relatórios Ambientais previstos na legislação brasileira, e a análise de risco;

- colaborar no planejamento urbano e industrial.

Mercado de trabalho

O tecnólogo em Gestão Ambiental tem a missão de planejar, gerenciar e executar atividades relacionadas ao meio ambiente, podendo atuar em empresas de pequeno, médio e grande porte – públicas ou privadas, ONGs, indústrias, empresas filantrópicas ou até mesmo com serviços de consultoria especializada. Empresas de planejamento, desenvolvimento de projetos, assessoramento técnico e consultoria. Empresas em geral (indústria, comércio e serviços). Empresas, propriedades rurais e empreendimentos de agricultura familiar. Organizações não-governamentais. Órgãos públicos. Institutos e Centros de Pesquisa. Instituições de Ensino, mediante formação requerida pela legislação vigente.